terça-feira, 27 de agosto de 2019

TCC DE FORMANDO DA FPG ESTÁ CONQUISTANDO O BRASIL




Já são três exibições em menos de um ano pelo país afora. O primeiro foi no cine teatro em João Pessoa; depois veio a roda de conversa em Minas Gerais e agora a veiculação, na íntegra, na TV Alê de Rondônia. O documentário “ Marielle Franco- A voz que continua ecoando” ganhou  o mundo e deu a merecida visibilidade ao seu autor.
Roteirizado, dirigido e produzido por João Victor Ribeiro, o trabalho de conclusão de curso, de pouco mais de meia hora, foi feito com um smartphone, ao longo de três meses intensos de trabalho de pesquisa e apuração.
Jovem negro, morador da comunidade do Querosene, em São Gonçalo, João  viu neste trabalho, a possibilidade concreta de denunciar o estigma que recai sobre a população periférica: “Geralmente quando morre alguém preto, pobre, da favela e as suspeitas do crime caem sobre pessoas ligadas às autoridades policiais, surgem boatos, que costumam viralizar nas redes sociais, dizendo que a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas e devido a isso mereceu morrer. O assassinato de Marielle Franco evidenciou muito bem essa faceta perversa da sociedade.”, afirmou o estudante.
Dividido em seis partes, o documentário  primeiro identifica Marielle Franco, fala do seu lado pessoal, atuação política,  representatividade, o que a sociedade perde com seu assassinato e o legado que ela nos deixou. João nos lembra: ”Acredito que a importância de realizar este documentário é fazer com que a história de Marielle continue motivando cada vez mais as minorias, da qual ela também fazia parte, a lutarem pelos seus direitos, por uma  sociedade ainda mais igualitária, com mais empatia, dignidade, respeito ao próximo e com menos preconceito e ódio.”  Veja o documentário na íntegra:



Formado pela FPG no fim do ano passado, João Victor traz na bagagem a participação em outro projeto sobre o funk carioca das comunidades e aos 22 anos, já planeja voos mais altos com a criação de um canal no Youtube e a produção de novos documentários. Boa sorte pra ele. 

sexta-feira, 5 de julho de 2019

EX- ALUNA DA FPG GANHA PRÊMIO DE COMUNICAÇÃO


A jornalista Paula Géssica, repórter carioca do TV Fama,  levou o troféu “Mulher 2019", no último 25 de maio em Ji Paraná (RO). Imaginem que antes desta conquista, Jéssica chegou a trocar o jornalismo se formando em enfermagem. Mas a paixão pela notícia falou mais alto. Não demorou muito e ingressou no curso de jornalismo da Faculdade Pinheiro Guimarães e, em pouco tempo, começou a trabalhar como estagiária em várias produções independentes. Passou pelas rádios Bandeirantes e Manchete, hoje trabalha na Rede TV, cobrindo os bastidores do entretenimento.
O Prêmio é uma realização do colunista social Valdeci Tergon, que há 30 anos homenageia as mulheres que se destacam em suas áreas de atuação. Este ano o evento foi realizado no Espaço Paternon de Ji-Paraná Rondônia, numa badalada festa que reúne  e celebridades do local.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CONCURSO GANHA DESTAQUE NA INTERNET


O TTC de Lorena Santos virou notícia.  Com orientação do Prof Gutenberg Barbosa, a reportagem especial “Ballet Masculino: Vencendo o Preconceito” foi  destaque no Portal Imprensa, no último 4 de julho.
A matéria de quinze minutos abordou a discriminação sofrida pelos homens, desde pequenos, ao optarem pelo mundo da dança. O apoio familiar, a relação com a sexualidade, os preconceitos dentro e fora da família estão entre os inúmeros aspectos abordados no projeto. Temas muito familiares à Lorenna , que estuda dança desde os sete anos de idade e já conheceu de perto muitas dessas histórias.
Foram três meses de um trabalho intenso, entre roteiros entrevistas e edição de todo o material.  Formada em 2018, pela Faculdade Pinheiro Guimarães, Lorena planeja voos mais altos, desdobrando este projeto, quem sabe, num documentário. Quer ter um canal no Youtube e  também busca espaço na produção de telejornais ou como repórter de rua. Talento não falta. 
Veja o documentário: